Há algum prejuízo na arrematação judicial?

Há algum prejuízo na arrematação judicial?

A arrematação de imóveis em leilão pode parecer muito atrativa, em vista do desconto de até 50% oferecido na 2ª Praça, porém a desinformação quanto aos detalhes do negócio acaba afastando possíveis investidores novatos, que não tenham certeza se é um bom negócio ou se haverão valores posteriores que podem acabar levando ao prejuízo. Por isso, hoje discutiremos todas as possíveis despesas e gastos que surgem com a arrematação, além, é claro, do valor do lance.

Despesas incidentes sobre a arrematação

Os únicos valores que o arrematante deve pagar com certeza, além do preço do lance, são a comissão do leiloeiro de 5% e o imposto de transmissão ITBI , que é calculado pela Prefeitura. Além desses valores, é possível que o arrematante tenha que pagar despesas como IPTU e o condomínio em atraso, porém você não será surpreendido por esses valores pendentes, é obrigatório que eles estejam listados no Edital do leilão. Nós já fizemos um texto mais aprofundado sobre essas despesas e você pode conferir clicando aqui.

Além disso, é preciso levar em conta despesas com eventual desocupação forçada e com a contratação de um bom advogado para te guiar durante o processo. É extremamente importante colocar todos esses valores no papel antes de oferecer um lance no leilão, para não correr o risco de gastar além do orçamento previsto.

Reforma e manutenção do imóvel

Logo após a entrega, surge uma nova preocupação, que são os gastos com a reforma do imóvel que foi arrematado. Às vezes o imóvel vem em situação precária ou está muito antigo e é preciso levar em conta essa possível despesa para não acabar surpreendido. Como na maioria dos casos os imóveis ainda estarão ocupados durante o leilão, e dificilmente os ocupantes autorizam a visitação, a única maneira de visualizar a situação do imóvel é pelo Laudo de Avaliação, que traz fotos internas do mesmo. Todavia, a experiência tem demonstrado que a reforma total de um imóvel ajuda muito na venda e inclusive absorve seus custos.

Se você pensa em vender o imóvel, também é preciso levar em consideração despesas com a manutenção do imóvel e com a venda em si (condomínio, IPTU, corretagem), e nesse caso é ainda mais importante ficar de olho nos gastos totais do arremate, para maximizar seu lucro com a venda.

Embora seja necessário estar atento às despesas que acompanham a arrematação, os leilões em segunda praça oferecem descontos incríveis e, dificilmente, trarão prejuízos aos arrematantes.

Agora se você optou por ser um investidor, que opera na arrematação e venda de imóveis, calcular todos os possíveis gastos é uma saída fácil e eficaz de potencializar sua renda e evitar dores de cabeça desnecessárias.

Do valor máximo ao lance

Diante do quanto apontado acima, o ideal é planilhar todos os possíveis gastos com a arrematação e assim definir o valor máximo que está disposto a investir e oferecer lances sem medo. Por exemplo, um apartamento de 50 m², cujo valor médio de mercado é de R$ 300.000,00, mas que em bom estado pode ser vendido por R$ 320.000,00 e o lance inicial é de R$ 140.000,00:

          DEMONSTRATIVO DO INVESTIMENTO 
Lance máximo R$                      180.000,00 
Leiloeiro 5% R$                          9.000,00 
ITBI  3% R$                          5.400,00 
Registro R$                          1.500,00 
 Condomínio – 10 meses R$                          5.000,00 
IPTU R$                             300,00 
Despesas Extras R$                        10.000,00 
Honorários advocatícios R$                          5.400,00 
Total do Investimento R$                      216.600,00 
Valor da Venda R$                      310.000,00 
Imposto – Lucro Imobiliário 15% R$                        14.010,00 
Corretagem – 6% R$                        18.600,00 
   
   
LUCRO LÍQUIDO INVESTIDOR R$                        60.790,0028%

Na planilha acima verificamos um lucro do investidor da ordem de 28%, possíveis em 01 ano. Há a possibilidade de não utilizar Corretor de Imóveis e economizar essa despesa, o que aumentará ainda mais a lucratividade. Não é um bom negócio!!!

Sobre o autor

PRÓ-JUD LEILÕES

A PRÓ-JUD é uma Casa de Leilão e conta com uma plataforma exclusiva e homologada pelo Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, com todos bens, imóveis, veículos e muitos itens para você poder dar o seu lance. A nossa equipe de Leiloeiros Oficiais estão sempre em busca das melhores oportunidades em leilões judiciais com a experiência jurídica e todo respaldo necessário para sua tranquilidade e segurança.

Trackbacks / Pingbacks

  1. O investidor pode visitar o imóvel antes do leilão? | Blog da PRÓ-JUD LEILÕES - […] Leia também: Há algum prejuízo na arrematação judicial? […]

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.